quarta-feira, 19 de junho de 2019

Corpus Christi

*Rubem Alves 


Tenho medo de morrer e ir para o céu. Eu me sentiria um estranho por lá. A Cecília Meireles pensava o mesmo. E se perguntava se, “Depois que se navega, a algum lugar enfim se chega... O que será, talvez, até mais triste. Nem barca, nem gaivota: somente sobre-humanas companhias...“. Também eu preciso de barcas e gaivotas, pois amo o mar e o ar. Sou um ser deste mundo e sinto que no meu corpo moram rios, árvores, montanhas e nuvens. Nenhum mundo além poderá consolar-me da sua perda. É certo que um espírito, por bem-aventurado que seja, não pode sentir o cheiro bom do capim gordura (que recém começa a florescer roxo nos campos). Para isso ele teria de ter um nariz. E nem pode sentir o vento frio das tardes de inverno, a lhe golpear o rosto. Ao que me parece, espíritos não têm pele. E (pobres) não podem jamais sentir o prazer de mergulhar no mar. Esta alegria animal está vedada aos espíritos, seres etéreos que, ao que consta, não sofrem os efeitos da gravidade (ou da gravidez). Sua leveza os protege de quedas de muros, mas lhes tira a alegria do mergulho. Saltam, e ficam flutuando no espaço.


Amo este mundo. Por isso não quero ir para o céu. Nietzsche sentia o mesmo. E até sonhou com o “retorno eterno“ - voltarei sempre a este mesmo lugar, o único que conheço, das coisas materiais do cotidiano, que vão desde o café com leite e pão com manteiga, pela manhã, até a música de Bach e os céus estrelados, à noite. Isto, para não se falar nos prazeres do amor, que não podem subsistir sem o corpo. Pois precisam do encanto dos olhos que dizem: “Como é bom que você existe...“. E do olfato, que percebe desde o “brabo cheiro bom de suor e graxa“, a que Adélia Prado se refere, até o perfume de pêssego maduro que vem da flor do imperador, tão discreta, e que Guimarães Rosa declarou ser a mais querida. E os ouvidos? As serenatas (antigas), o “eu te amo“ (eterno), os poemas - são todos seres materiais, que não existem sem a física da fala. Não posso imaginar um som espiritual, embora se diga que os querubins tocam harpas e cantam. Sons precisam de bumbos, trombones, violinos, dedos, sopro, corpo: são coisas físicas, corpóreas. E fico preocupado com o destino de Bach e Beethoven, espíritos nos céus, para sempre separados dos bons instrumentos da terra onde tocaram a sua música.


Por isso me alegrei com esta festa de nome latino, Corpus Christi, em que a cristandade comemora, teimosa e inconsciente, o corpo de Cristo. Fosse a celebração da sua alma, confesso que fugiria. Almas do outro mundo, boas ou más, são assombrações que causam medo. Sei que há um dia que as celebra, o dia de “todas as almas“, também chamado de dia de todos os santos, logo antes de finados. O que combina muito bem. A alma começa quando o corpo termina. Parece que acreditavam que as almas vagavam, penadas, por este mundo (dia das bruxas!), sofrendo e assombrando os vivos - que, neste dia, faziam orações por sua eterna salvação nos céus, deixando livre a terra para as coisas materiais e boas que nela moram. Mas este dia, Corpus Christi, a se acreditar na tradição, diz que Deus, cansado de ser espírito, descobriu que o bom mesmo era ter corpo, e até se encarnou, segundo o testemunho do apóstolo. Preferiu nascer como corpo, a despeito de todos os riscos, inclusive o de morrer. Porque as alegrias compensavam. E nasceu, declarando que o corpo está eternamente destinado a uma dignidade divina. Curioso que os homens prefiram os céus, quando Deus prefere a terra. Lembro-me do espanto do chefe índio que escrevia ao presidente dos Estados Unidos e dizia não poder compreender as razões que levavam os brancos a desejar, depois de mortos, ir morar num lugar muito longe da terra. Nós, ele dizia, precisamos do perfume dos pinheiros, do barulho da água, dos riachos, do cintilar da luz sobre a superfície dos lagos. Corpus Christi: divino é o pão e toda a terra onde cresceu, com a água que o fez germinar, e o vento que o acariciou, e o fogo que o cozeu. Divino é o vinho, alegria pura que dá asas ao corpo e o faz flutuar. Coisas do corpo: dentro dele cabe o universo. Não é à-toa que a tradição fala não em imortalidade da alma mas em ressurreição do corpo. Afirmação de que a vida é bela e o divino se encontra nas coisas materiais mais simples. Como dizia Blake: “Ver a eternidade num grão de areia“. Ou Fernando Pessoa: “Toda matéria é espírito“. E assim, como e bebo as coisas deste mundo, corpo de Deus...



*retirado do livro de Rubem Alves - "Tempus Fugit". São Paulo: Paulus, 1990. 

domingo, 26 de maio de 2019

UM OLHAR PSICANALÍTICO SOBRE AS PROBLEMÁTICAS ALIMENTARES



Não bastasse a fome que vem das entranhas diariamente, também comemos com os olhos, empanturrados por anúncios de comida, de restaurantes, de serviços de entrega. Há canais onde se pode ver programas de receita 24 horas por dia, há realites e disputas: o melhor cozinheiro, confeiteiro, padeiro...há os po-ups nas mídias sociais e os aplicativos que tem a receita certa para cada ocasião.
Ao mesmo tempo, não somos menos expostos a notícias sobre índices de saúde e as formas e medidas ideais do corpo. Seja pelo viés da saúde ou pelo da estética, estamos em constante conflito entre esses parâmetros e a oferta de comida! Mas para esse conflito também há receitas e comidinhas: funcionais, fit, light...as vezes parece até que respiramos comida!

Por que as questões alimentares ocupam tanto espaço em nossas vidas, no mundo e na cultura?
O que pode haver de inconsciente nas determinações de nosso comportamento alimentar atualmente?
Qual o impacto desse fenômeno cultural nas anorexias, bulimias e compulsões?
O que a Psicanálise tem a contribuir na compreensão destas questões?



CONFERÊNCIAS

Dia: 14 de junho
Horário: às 18h30
Local: Auditório do Ibis Budget

Abrangências e Especificidades
 Camila Junqueira

A Buliminha e seu alimento-droga
Nanci de Oliveira Lima

INQUIETAÇÕES NA CLÍNICA

Atividade de discussão de casos clínicos
Com as psicanalistas Camila Junqueira e Nanci de Oliveira Lima

Dia: 15 de junho
Horário: 8h30
Local: Auditório do Ibis Budget
Restrito a profissionais da área que realizam atendimento de escuta clínica


INSCRIÇÕES:

Link: bit.ly/inquietacoesdaclinica ou  enviar no email rodadepsicanalise@gmail.com  o nome completo com telefone, profissão/instituição, juntamente com o comprovante de depósito bancário.

*Depósito bancário em nome de  Isabelle Maurutto Schoffen
CPF: 027.224.589-50
Caixa Econômica Federal
AG: 3849 
Conta Poupança: 1094-0 
Operação: 013  


*Camila Junqueira, psicanalista, doutora e pós doutora pelo instituto de psicologia da universidade de São Paulo, membro do Departamento de Psicanálise do Instituto Sedes Sapientiae, membro do Projeto de pesquisa e clínica psicanalítica das Problemáticas Alimentares, coordenadora do curso de expansão sobre Problemáticas Alimentares neste instituto e autora de diversas publicações.

**Nanci de Oliveira Lima, psicanalista, especialista em Dependências Químicas e Não Químicas pelo Proad-Unifesp, membro do Departamento de Psicanálise do Instituto Sedes Sapientiae, docente do curso de expansão sobre Problemáticas Alimentares deste Instituto, membro do GTEP - Grupo de Transmissão e Estudos de Psicanálise, ex-membro do Projeto de pesquisa e clínica psicanalítica das Problemáticas Alimentares, articuladora da área de Administração e Finanças do Conselho de Direção deste Departamento, na gestão 2019/2020.








segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019

Roda de Psicanálise oferece:

Com os membros do GTEP – Grupo de Transmissão e Estudos de Psicanálise do Departamento de Psicanálise do Instituto Sedes Sapientiae

  
Objetivos: Oferecer um espaço de transmissão da psicanálise, onde o estudo cuidadoso da obra de Freud e dos pós-freudianos é considerado fundamental para criar uma base sólida para a intervenção clínica. Trabalhar os conceitos e operadores que fundamentam a clínica psicanalítica. Desenvolver a escuta clínica, 
levando em consideração a metapsicologia freudiana. Acompanhar e supervisionar o trabalho clínico dos alunos em formação. Criar um espaço crítico e questionador, confrontando a coerência interna do discurso teórico com a prática clínica. 
   
Destinado a: profissionais com formação universitária – psicólogos, médicos ou de áreas afins – que desejam aperfeiçoar seu conhecimento teórico e técnico da psicanálise. 

Requisitos: Conhecimento básico da teoria psicanalítica, estar em atividade clínica em consultório particular ou em instituições, estar em análise pessoal e em supervisão clínica. 

Conteúdo Programático: Seminários teóricos, teórico-clínicos e clínicos, que serão propostos pela equipe do GTEP, de acordo com a singularidade do grupo a ser formado. 
  
Duração: quatro módulos de nove meses cada, perfazendo um total de 36 meses (4 anos). 
  
Carga horária: 8 horas mensais (as sextas no período da noite e aos sábados pela manhã). Com a possibilidade de mais 02 horas de supervisões individuais ou em dupla, a ser combinado mediante contratação adicional. 

Documentos para a inscrição: 01 foto 3x4 atual; curriculum vitae; carta de intenção (breve descrição do trajeto profissional e da motivação para esta formação); comprovante de depósito da taxa de inscrição. 
Os documentos podem ser enviados digitalizados via email para rodadepsicanalise@gmail.com ou impressos via postal para nosso endereço:

Rua Neo Alves Martins n° 2999 
Edifício Marquezini Trade Center, 13° andar. 
Sala 134 
Zona 03 – Maringá – PR 
CEP: 87013-060 


Processo seletivo: Entrevista individual e análise dos documentos. 
   
EntrevistasPrevistas para o segundo semestre de 2019. 
O local e horário das entrevistas, assim como os resultados da seleção, serão comunicados por telefone. 

Taxa de inscrição: R$ 180,00 
Via depósito bancário em nome de  Isabelle Maurutto Schoffen
Caixa Econômica Federal
AG: 3849 
Conta Poupança: 1094-0 
Operação: 013  


Anuidade: Matrícula R$ 650,00* + 9 parcelas de R$ 650,00* 
*sujeito a reajustes



Sobre o Grupo de Transmissão e Estudos de Psicanálise – GTEP 

É formado por membros do Departamento de Psicanálise do Instituto Sedes Sapientiae responsáveis pela transmissão da psicanálise fora dos limites da cidade de São Paulo, desde 1989. Seu objetivo é oferecer um percurso teórico clínico em psicanálise, o que é parte essencial da formação psicanalítica e requer constante trabalho de ampliação e reelaboração de conhecimentos, no interior do campo psicanalítico e no intercâmbio com áreas afins. Pauta-se pela escuta psicanalítica, apoiada na transferência, e pelo referencial freudiano em seu rigor conceitual, consistência metodológica e princípios éticos. Esta transmissão é fundamentada, sobretudo pelo estudo dos textos freudianos. 

Sobre o Departamento de Psicanálise do Instituto Sedes Sapientiae 

Ativo desde 1985 é um espaço de formação, interlocução, produção de pesquisas e publicações dentro do movimento psicanalítico, através do exercício fecundo da transmissão de múltiplas experiências de trabalho clínico, de eventos públicos e de produção editorial, assim como do contato e intercâmbio com outros analistas, grupos, instituições e espaços psicanalíticos ou ligados à psicanálise. 

Para mais informações: www.sedes.org.br/Departamentos/Psicanalise 


Sobre a Roda de Psicanálise: teoria, clínica e cultura 

Iniciada em 2013 na cidade de Maringá, é um espaço para pensar a (e por meio da) psicanálise as questões cotidianas, familiares, econômicas, sociais e culturais. Seu objetivo é proporcionar um espaço de interlocução e construção do pensamento psicanalítico com seus pares, na medida em que se compreende a formação em psicanálise como um processo contínuo e permanente. 

Observações: 

1) A formação não funcionará com menos de 80% de totalidade das vagas oferecidas. 

2) Os candidatos à formação serão submetidos a um processo de seleção e somente poderão se matricular aqueles que forem aprovados. 

3) Os alunos da formação, para obter o certificado de conclusão, deverão: 
  • Frequentar no mínimo 80% das aulas; 
  • Apresentar trabalho de conclusão proposto pelo corpo docente; 
  • Cumprir as exigências propostas pela formação. 
4) O preço da anuidade está sujeito a reajustes. 


Coordenadoras 
Aline Sanches 
Isabelle Maurutto Schoffen 
Samara Megume Rodrigues 
Secretário 
Gustavo Góis 

Informações: 
e-mail: rodadepsicanalise@gmail.com 
telefone: (44) 99834-4281 /(44) 99938-3542