segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Grupo de Estudos - Os Artigos Técnicos de Freud

A Roda de Psicanálise oferece grupo de estudos sobre a técnica analítica:


Os “Artigos sobre técnica” são compostos de seis escritos de Freud entre os anos de 1911 a 1915. Trata-se de uma detalhada exposição e problematização da técnica psicanalítica. O objetivo deste grupo de estudos é fazer uma leitura atenta e cuidadosa desses trabalhos e promover reflexões críticas acerca da interdependência entre o arcabouço teórico da psicanálise e a sua prática. A psicanálise é um campo de saber, uma psicopatologia, um método de investigação dos fenômenos psíquicos e, fundamentalmente, uma prática de intervenção clínica. Entendemos que o diálogo entre esses elementos é necessário para o fazer e a escuta do analista.
 A psicanálise propõe um encontro entre duas pessoas, atravessado pelos fenômenos inconscientes, a transferência e a resistência. Freud elaborou certo número de regras destinadas a tornar esse encontro possível. Longe de impor normas rígidas ele fez orientações e problematizações sobre a conduta do analista e a condução da análise.  Tais problemas constituem um centro de controvérsias até os dias atuais, carregando o peso da interrogação sobre os laços recíprocos entre teoria e prática. Buscaremos na leitura dos “Artigos sobre Técnica” adentrar esse campo de discussão.
 Freud (1913)[1] compara as regras da psicanálise ao jogo de xadrez, assim ele diz:

Quem desejar aprender nos livros o nobre jogo de xadrez logo descobrirá que somente as aberturas e os finais permitem uma descrição sistemática exaustiva, enquanto a infinita variedade de movimentos após a abertura desafia tal descrição. Apenas o estudo diligente de partidas dos mestres pode preencher a lacuna na instrução. As regras que podemos oferecer para o exercício do tratamento psicanalítico são sujeitas as limitações parecidas (FREUD, 1913, p.164)

Freud (1913) contrapõe a estabilidade da regra à imprevisibilidade das movimentações inconscientes. Neste jogo, em que convivem os paradoxos, torna-se essencial construir um estilo singular de trabalho.  No entanto, essa construção só é possível pelo estudo dedicado aos fundamentos dos mestres. No percurso de nossa leitura e discussão em grupo buscaremos os pilares de sustentação da escuta e da intervenção psicanalítica.


Roteiro de leituras
- O uso da interpretação dos sonhos na Psicanálise (1911)
- A Dinâmica da Transferência (1912)
- Recomendações ao médico que pratica a Psicanálise (1912)
- O início do Tratamento (1913)
- Observações sobre o Amor de Transferência (1915)


PÚBLICO: Profissionais da área psi e estudantes de Psicologia 
HORÁRIO: Sexta-feira (das 15h às 17h).
FREQUÊNCIA: Quizenal
INVESTIMENTO: R$150,00 (por mês, 2 encontros)
INSCRIÇÃO: Realizar depósito em conta bancária, com o valor da primeira mensalidade. Enviar o nome completo, profissão/atuação ou instituição de ensino para o endereço de email: rodadepsicanalise@gmail.com 
Conta para depósito: Banco: SICOOB. Agência: 4340 Conta: 82.475-5
INFORMAÇÕES E DÚVIDAS: (44) 9938 35 42 e (44) 9118 6069


*Samara Megume Rodrigues (CRP – 08/18324) é Psicóloga pela Universidade Estadual de Maringá. Mestre em Psicologia (Epistemologia e Práxis em psicologia pela mesma instituição). Trabalha em consultório particular, realizando atendimento em psicanálise. É coordenadora e idealizadora da Roda de Psicanálise.
**Isabelle Maurutto Schoffen (CRP -08/17708) é Psicóloga pela Universidade Estadual de Maringá. Mestre em Psicologia (Epistemologia e Práxis em psicologia pela mesma instituição). Atua na área da Saúde Pública e em consultório particular. É coordenadora e idealizadora da Roda de Psicanálise







[1] FREUD, S (1913). O início do Tratamento, in: Obras Completas vol.10.  São Paulo: Companhia das Letras, 2010.